Minha lembrança da Copa de 1990

O mundial da Itália não foi dos mais brilhantes. A seleção da Alemanha campeã não apresentava um futebol de sonhos. A do Brasil então causava pesadelos apesar de contar com talentos como Müller e Careca. Dá para ver por que para muita gente a Copa de 1990 está entre as mais “esquecíveis” da história. Mas não para mim.

Seleção alemã tricampeã: nem aos pés da nossa seleção tricampeã em 1970

A Copa de 1990 foi a primeira que acompanhei por inteiro. E não falo apenas das partidas. Lembro das ruas pintadas, do álbum de figurinhas, das edições especiais da revista Placar, do aquecimento antes das partidas jogando futebol de botão com os amigos… Boas lembranças fora dos gramados. Até a abertura do mundial eu fiz questão de assistir.

Álbum da Copa de 90: apesar do futebol pobre, tem marmanjo que guarda essa relíquia até hoje

E foi justamente na abertura que aconteceu o jogo inesquecível da Copa – na minha opinião, claro: Argentina 0 x 1 Camarões. Os hermanos entraram em campo para defender o título conquistado em 1986 sob a batuta de Maradona. O adversário africano não parecia ser um oponente à altura. Seria um jogo tranquilo, na opinião dos torcedores. Eis que a zebra africana deu as caras.

Camarões surpreendeu a Argentina e o mundo com a vitória no primeiro jogo daquela Copa. E deu início a um pesadelo na carreira do goleiro argentino Pumpido: primeiro, ele falhou no gol dos africanos; e na partida contra a URSS, teve o azar de fraturar a perna.

O vovô-garoto rouba a bola do folclórico Higuita e despacha a Colômbia do mundial

O futebol alegre dos Leões Africanos contagiou a torcida, carente do futebol-arte no torneio. Os jogos das outras seleções não empolgavam ninguém. Roger Milla, o vovô-garoto, marcava seus gols e ajudava a seleção camaronesa a derrubar seus adversários. Romênia e Colômbia provaram a força da fera – que o diga Higuita, folclórico goleiro colombiano. Os africanos diminuíram o ritmo somente contra a URSS e mesmo assim se classificaram em primeiro lugar na sua chave.

A seleção camaronesa seguiu surpreendendo até as quartas de final, quando foi derrotada pelos ingleses em uma partida emocionante: 2 a 3, com direito a duas viradas no placar. Saíram do mundial ovacionados pelos fãs do futebol alegre.

Camarões de 1990: do campo para a história e também para as melhores lojas de brinquedos

Postado por Flávio Tamashiro

Anúncios

5 Respostas para “Minha lembrança da Copa de 1990

  1. Boa Flavião! Eu estava pensando justamente em escrever sobre a Copa de 90… E falaria a mesma coisa: as únicas coisas boas daquela Copa foram Camarões e o álbum de figurinhas (que orgulhosamente tenho completo em casa).
    Legal que o Galvão grita mais no gol do Omam Biyik do que nos do Brasil.
    E o Pelé falando “o Camarão…”?

    • Na opinião desse blog, ou o Brasil ganha a Copa ou o futebol jogado é uma porcaria. E a dupla Galvão e Pelé… o que dizer desse momento ridículo da TV brasileira. Dá vergonha até hoje. 20 anos depois.

  2. Pingback: Copawriter de Fora II: A Copa e Eu, por Rico Lins « Copawriters

  3. Pingback: Os goleiros que já fui « Copawriters

  4. vcs sao otarios depois que o brasil caiu fora em 90,tinhamos q torcer contra a italia pois a italia tambem era tri campea do mundo.se ela ganha a copa de 90 juntando com a de 2006 eles eram penta tbm.entao cundo argentina e italia jogaram torci muito para os argentinos valeu cannigia valeu maradona valeu goycochea valeu burruchaga obrigado por terem eliminados os italianos se naum hoje nos nao seriamos donos do mundo do futebol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s