O Brasil B

O Brasil se dividiu. Uma violenta contenda entre os defensores da Ivete Sangalo e os da Claudia Leitte transformou-se em guerra civil. O resultado da cizânia foi uma irreversível divisão. Metade da população ficou de um lado, metade do outro.

 Surgiu o Brasil B.

 Com bandeira, hino e presidente próprios. E uma seleção própria, também.

Fla x Flu

Graças à tradição do Brasil (doravante chamado de Brasil A), a seleção do Brasil B foi convidada a participar da Copa da África do Sul. No lugar de quem? Ora, da França, que como tinha se classificado roubado nem reclamou.

Os jogadores já convocados para o Brasil A não puderam ser  chamados. O treinador do Brasil B, Mano Menezes, teve que contar com aqueles que estavam fora da lista de Dunga.

O elenco (anunciado ao vivo pela Rede Globo B) ficou assim:

Goleiros:

Marcos (Palmeiras)
Diego Alves (Almeria – ESP)
Hélton (Porto – POR)

Laterais:

Rafinha (Schalke-04 – ALE)
Jonathan (Cruzeiro)
Marcelo (Real Madri – ESP)
Fabio Aurélio (Liverpool – ING)

Zagueiros:

Miranda (São Paulo)
Alex (Chelsea – ING)
Naldo (Werder Bremen)
André Dias (Lazio – ITA)

Volantes:

Hernanes (São Paulo)
Denílson (Arsenal – ING)
Lucas (Liverpool – ING)
Sandro (Internacional)

Meias:

Ronaldinho Gaúcho (Milan – ITA)
Alex (Fenerbahce – TUR)
Paulo Henrique Ganso (Santos)
Diego Souza (Palmeiras)

Atacantes:

Alexandre Pato (Milan – ITA)
Ronaldo (Corinthians)
Neymar (Santos)
Fred (Fluminense)

Pra frente, Brasil B!

A Copa chegou e o Brasil B foi passando pelos adversários com autoridade, apesar da defesa claudicante — Mano tentou naturalizar o Daniel Alves e o Maicon (“Um dos dois, pô!”), sem sucesso.

A falta de entrosamento do time foi superada pelo grande talento individual dos convocados. Motivado a arrebentar em sua 5a. Copa (jogando por dois países diferentes, Brasil A e Brasil B), Ronaldo adotou o corte Cascão de 2002 e chegou ao seu 20o. gol em Mundiais.

Nas semifinais, a seleção B derrotou a Argentina de Messi com um gol de mão de Pato e outro em que Ronaldinho Gaúcho saiu driblando desde o campo de defesa. Até Maradona aplaudiu.

"Que Diós te abençoe."

A grande final pôs frente à frente os Brasis, A e B.

Dunga teve os desfalques de Kaká, que sofreu a Copa toda com sua pubalgia, e Felipe Melo, expulso na semifinal contra a Espanha. Assim, a seleção A entrou em campo com Júlio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto Silva, Josué, Elano e Ramires; Robinho e Luis Fabiano.

Mano escalou seu time titular (no esquema 4-3-3 do Corinthians de 2009) com: Marcos, Rafinha, Miranda, Alex e Marcelo; Denílson, Hernanes e Ronaldinho Gaúcho; Neymar, Pato e Ronaldo. Lucas, Alex e Diego Souza eram as opções para deixar o time mais fechado, mais cadenciado, ou com apenas dois atacantes.

E aí, quem levava essa?

***

Como se vê, fazer uma seleção imbatível para 2010 não é tão difícil assim, vai.

Basta somar A com B.

Postado por Marcos Abrucio

Anúncios

9 Respostas para “O Brasil B

  1. E a inevitável desclassificação do “Brasil A” na primeira fase já antevista por alguns profetas?

  2. Texto fudido. Sou mto mais o BRASIL B. O meio e o ataque humilha.

  3. siamopalestra

    Faltou o Pierre ser convocado para ser volante do Brasil B, mas, de qualquer forma, deu empate: 2 a 2 (Luis Fabiano e Lúcio / Gaúcho e Ronaldo).

    Nos pênaltis, Josué perdeu o dele nos alternados e deu Brasil B!

  4. Ricardo Salgado

    Na minha seleção B, Ronaldinho é banco. Alex é o 10. Jonathan também joga no lugar do Rafinha.
    Ah, e o meu goleiro também não é o Padroeiro de Manchester (pra quem não sabe, lá na Inglaterra tem uma estátua de bronze dele com as mãos pra cima). O meu camisa 1 é o melhor goleiro de toda a história do futebol mundial (pode perguntar pro Gerrard): Rogério “o mito” Ceni.

  5. Minha seleção titular: Júlio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Fabio Aurélio; Felipe Melo, Hernanes, Elano e Kaká; Robinho e Luis Fabiano.
    Brasil A – 9 jogadores
    Brasil B – 2 jogadores
    Como se vê, por tudo o que já fez, a seleção do Dunga ainda tem minha confiança.

  6. Bommmm!! haha
    só que faltou uma pessoa muito importante na Copa: Jorge Henrique.
    E os laterais Roberto Carlos e André Santos, um dos dois teriam espaço, heim. Fábio Aurélio e Marcelo é sacanagem.
    E ainda, no gol, temos o Dida.

  7. Brasil B desde criancinha. Se o Dunga não chama o Gaúcho porque não ta jogando (imagina se estivesse), o que o Elano anda fazendo no City? Ele ainda ta no City? nao ouço falar dele há meses.

  8. Nem precisa ter muita imaginação que essa bola quadrada dos amigos do “professor” Dunga, não irá longe.
    Parabéns pelo texto, sóbrio e interessante.

  9. Pingback: Última chamada para o craque « Copawriters

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s