O herege

Sim, eu sou. Ou vou ser, depois do que vou escrever agora. Prepare-se. Não é para estômagos fracos:

Se o Messi continuar jogando desse jeito e fizer a Argentina ser campeã, eu não vou ficar triste, não.

Pronto, já posso ir para a fogueira. Mas calma, antes de acender o fósforo, espera só um pouquinho.

Em primeiro lugar, não quero que isso aconteça. Opa, nada disso. A despeito de qualquer objeção que eu possa ter ao time de Dunga, vou, como sempre, torcer muito pelo Brasil. Aliás, só consigo torcer pelo meu time e pela seleção.

Mas tem uma coisa: não dá para ignorar os gênios do esporte. E Messi, ao que parece, está assinando a súmula para entrar nesse time.

Veja o que o cara fez na última semana. Em três jogos pelo Barcelona, ele fez oito gols. Perdão, golaços:

Lionel Messi é novo, tem só 22 anos. E está jogando melhor a cada dia: faz gols de todos os jeitos, dá assistências precisas, dribla como poucos, desmonta retrancas, é decisivo. Num dia é ponta-direita, noutro ponta-esquerda, ponta-de-lança, centroavante… Na atual fase, se ele virar goleiro, pega pênalti.

O baixote adentrou aquele nível em que não dá para torcer contra, só aplaudir. Resta saber quanto tempo ele vai ficar lá em cima. Tostão lembrou bem: Ronaldinho Gaúcho, por dois anos, esteve num ponto em que Zidane e Zico jamais chegaram. Mas depois caiu. Assim, na média, os dois Zs foram melhores.

Pela sua qualidade e juventude e por estar na ascendente, Messi parece que vai ser dos que duram. É desde já um candidato natural a Schumacher, a Phelps, a Federer, a Maradona. A Pelé? Ah, passa amanhã.

O cara é o cara.

Mas duas coisas ainda nos impedem de vaticinar a consagração de Messi no Mundial. Primeiro: com a camisa da seleção, ele nunca jogou um décimo do que joga no Camp Nou. Tudo bem, mais cedo ou mais tarde, ele vai desencantar (tomara que não contra a gente). O problema é outro: não dá, jamais, para saber com antecedência quem vai ser o craque da Copa.

Aos exemplos: em 1982, Paolo Rossi vinha de dois anos de suspensão por ter participado de um esquema de manipulação de resultados. E foi o craque da Copa, porca miséria. Em 2002, parecia que só o Felipão acreditava em Ronaldo e seus joelhos moídos. E Ronaldo foi o cara. Em 2006, Ronaldinho Gaúcho dominaria o mundo. Mal conseguiu dominar a bola.

Maledet, ops, Paolo Rossi

Pô, Argentina e Paolo Rossi no mesmo post?

O craque da Copa pode ser alguém que já é ídolo. Um Romário, um Zidane. Mas também pode ser alguém que saia do banco e vire artilheiro. Tipo o Schilatti, em 90, lembra?

Mas se este titulo cair no colo do Messi, eu vou achar bem legal. Foi mal aí.

Postado por Marcos Abrucio

Anúncios

14 Respostas para “O herege

  1. Eu não vou achar legal. Sou anti-Argentina de corazón!

    Mas que este piolho está jogando o fino, isso tá… quero ver fazer graça pra cima de Lúcio-Paredão!

    Abrazzo.

    • Olha aí o “paredão” aos 23 minutos:

      • rojasrojas

        Pra você ver, Max…

        O cara tá indo pra sua terceira Copa do Mundo como titular, jogando o fino pela Inter de Milão e repetindo suas atuações com a Amarelinha (o que Messi realmente não faz – ou não fez “ainda” em um torneio sub-30).

  2. Infelizmente, eu concordo.

  3. Obrigado por se somar à lista de brasileiros que torcem para a Argentina por achar a Seleção da CBF chata e pedante. O presidente Lula declarou o mesmo. E eu, que não sou presidente e nem “jornalista esportivo”, sigo o exemplo de vocês.

  4. Por favor, capturem ai algum gol dele contra um time de short azul, meião branco e camisa amarela (que possui 5 estrelas) de nome Brasil!!!!! Quando ele ve esta camisa, ele treme na base, num joga nada. (fato)

    Sim, ninguém é louco de negar que o cara joga muuuuuuito e é o super homem do futebol, mas no futebol a Kriptonita é amarelinha.

  5. li só a duas primeiras frases e parei.

    • Antero,
      As duas primeiras frases são:
      (1) Sim, eu sou. (2) Ou vou ser, depois do que vou escrever agora.
      Você parou alí?
      Leia o resto. Fala do Messi. Vale a pena.

  6. Ricardo Salgado

    Sempre lembrando que Ronaldo Fenômeno, o maior jogador que eu vi jogar, com a mesma idade de Messi já era duas vezes o melhor do planeta e já havia participado de duas Copas, sendo campeão em uma delas e vice na outra.

  7. Pingback: Última chamada para o craque « Copawriters

  8. Pingback: Por quem torço | Copawriters

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s