Copawriter de Fora IV: Em futebol se ganha, se perde e se empata, por Antero Neto

Assim que aquele juiz japonês apitou o final do jogo e os jogadores de azul desceram chorando para o vestiário, os brasileiros passaram a se dedicar a uma outra questão:

Afinal, foi o Dunga que ferrou tudo ou não?

O território nacional se dividiu entre os defensores de cada lado.

Para muitos, Dunga formatou esta seleção à sua cara, e o fracasso de uma significa, inevitavelmente, o fracasso do outro. Ainda mais que ele sempre defendeu o estilo o-que-importa-é-o-resultado. Logo…

Para outros, no entanto, Dunga fez um bom trabalho. Basta batermos os olhos nos resultados da seleção em quatro anos. Além disso, ele fez exatamente o que lhe foi pedido após a derrota de 2006: “moralizou” a seleção, montou um time de “comprometidos” e conquistou resultados importantes.

Como o Copawriters é, antes de tudo, um espaço democrático (e como já coloquei minha posição aqui), abrimos um cantinho aqui para dois grandes entendedores de futebol darem sua opinião. Um afirma que Dunga foi, sim, bem-sucedido fez, sim, um trabalho bem feito (correção pedida pelo autor). Outro defende que a derrota da seleção muito se deve aos erros e defeitos do treinador. (Treinador? rs…)

Aqui está a visão do Copawriter convidado Antero Neto. E, se quiser ver uma opinião oposta da dele, clique aqui.

_______________________________________________

Em futebol se ganha, se perde e se empata.

A frase do título é do Dino Sani. É simples. É óbvia. Mas é extremamente sofisticada. Tão sofisticada que muita gente inteligente, com diploma de jornalista e tudo, não a entende.

O Brasil, mais uma vez, está fora de uma Copa do Mundo. Mais uma vez. Quase uma rotina. Tudo bem, somos pentacampeões e tal, mas, matematicamente falando, perdemos muito mais Copas do que ganhamos. E toda vez que essa tragédia nacional acontece, começa o ritual de caça as bruxas. Temos aí diversos exemplos de “culpados”. Barbosa em 50 foi “o culpado”. Toninho Cerezo, cracaço de bola, foi “o culpado” em 82. Em 90 todo mundo apontou o dedo para o Lazaroni. E hoje, um dia após a eliminação do Brasil contra a Holanda o que eu mais escuto é: “culpa do Dunga”.

Pois bem, amigos da Rede Globo, a culpa não é do Dunga. Aliás, a culpa não é de ninguém. Esse raciocínio de “procurar um culpado”, para nós, brasileiros, soa tão elementar que parece lógico. Mas não é. Essa verdadeira fixação nacional em procurar culpados é muito natural quando nascemos no maior país católico do mundo. Mas veja bem: eu disse natural. Não disse correto.

O Dunga não é culpado de absolutamente nada. Pelo contrário, fez um ótimo trabalho. E se você acha que com essa frase eu comprei uma briga com 190 milhões de pessoas, sugiro que continue lendo. Já se o querido leitor pertence a classe dos que “não podem ser contrariados”, aproveite que está na internet e mude de site i-me-di-a-ta-men-te. Porque a exaltação que fiz do trabalho do Dunga foi apenas a ponta do iceberg.

Mas então se o trabalho do Dunga foi tão bom como diz o Antero, por que raios estamos fora da Copa? Por uma série de pequenos detalhes que, somados, nos mandaram pra casa.

A primeira coisa que precisamos observar é que esta não era a Copa do Mundo de Basquete. Nem de vôlei. Nem de golfe. Era a Copa do Mundo de futebol. E futebol, ao contrário dos outros esportes, permite que o pior ganhe do melhor. E justamente por essa característica genial, é o melhor jogo que existe na face da Terra.

Ok, então a Holanda é pior que o Brasil e ganhou porque é um jogo de futebol? Não, não é isso. A Holanda não é melhor que o Brasil. E o Brasil também não é melhor que a Holanda. São times bastante equivalentes, mas, por uma dessas coisas maravilhosas do futebol, no primeiro tempo, os times não foram iguais. O Brasil deu um banho de bola nos laranjas e se terminasse os primeiros 45 minutos com um sonoro 3 x 0 verde-amarelo não haveria nenhuma injustiça. Mas foi “só” 1 x 0.

E então voltamos para o segundo tempo com aquela agradável e idiota sensação que de “era uma questão de tempo” para fazermos a sonhada laranjada. E não é que tenhamos subestimado o adversário. Não. Absolutamente não. O que eu, você e todo o planeta esperávamos era o segundo tempo, a continuação do jogo, a continuação do banho de bola.

Mas veio o segundo tempo e, com ele, a imprevisibilidade de um jogo de futebol: o melhor goleiro do mundo falha numa saída do gol simples e banal. Coisa que ele faz com naturalidade e perfeição 99,99% das vezes. Maldito 0,01%. Maldito gol da Holanda.

E gol em futebol sabemos todos que é algo mágico. É a razão de ser do jogo. Os holandeses, naturalmente, se animaram. Os brasileiros, até então tidos como donos de uma defesa extremamente sólida e de um ataque mortal, se deram conta que, talvez, a defesa não fosse tão sólida assim. Pois 10 minutos depois, escanteio para os holandeses e pimba: a melhor zaga do mundo leva um gol primário, infantil. Mais que isso, leva um gol em sua especialidade: a bola parada.

Aí o time sentiu, como tradicionalmente sentem  todas as Seleções Brasileiras quando se deparam com a perspectiva de voltar para casa mais cedo e passar pela tradicional “CPI do culpado”. O time começou a errar e, quanto mais errava, mais erros apareciam. Falência futebolística completa.

E o Dunga? O que tem o Dunga a ver com isso? Ele é o técnico do time, ora bolas. Mas o que o técnico do time tem de culpa quando o melhor goleiro do mundo falha e a zaga mais sólida do mundial toma um gol de pelada? Eu penso que não tem absolutamente nada que ver. O trabalho de um treinador de futebol deve ser avaliado sob três aspectos: montar um grupo, organizar um time e dar consistência de jogo a este time. Me parece que Dunga cumpriu essas três missões com perfeição.

Ou não tínhamos um grupo coeso? Ou não tínhamos um time muito bem organizado? Ou não tínhamos uma proposta clara e consistente de jogo? Claro que tínhamos. O Brasil de Dunga era chamado pelo mundo todo de “Brasil fatal”, um time de defesa sólida e contra-ataque mortífero. Um time contra o qual era proibido errar. Essa foi a seleção que o Dunga montou. E, claro, para fazer isso, ele teve que seguir as suas convicções.

Mas agora que a seleção perdeu, escuto muito falar que o Dunga foi “arrogante” porque não convocou esse ou aquele. É muito interessante essa palavra: “arrogante”. O Felipão em 2002 também contrariou o “clamor popular” e não levou Romário. Só que como a Seleção ganhou, Felipão entrou para a história como um técnico com “convicções”. Se tivesse perdido, seria “arrogante” por não ter levado o Romário. Felipão em 2002 formou a “família Scolari”. Exatamente a mesma coisa que Dunga fez nessa Copa: fechou um grupo.

Mas como perdemos em 2010, a imprensa diz que Dunga abriu mão dos craques. Mas que craques? Se referem ao Ronaldinho Gaúcho? Aquele cara que não teve nenhum comprometimento em 2006?  Que se escondeu do jogo enquanto a França nos mandava para casa na última Copa? Ou melhor, se escondeu não: de vez em quando ele aparecia para mostrar para a câmera a faixa no cabelo com o logo da Nike.

Ronaldinho, aquele cara que joga demais contra o Siena e a Udinese, mas que sumiu no jogo decisivo contra a Inter de Milão esse ano no italiano? Aquele cara que foi convocado e não jogou absolutamente nada nas Olimpíadas? Esse é o craque?

Ou o craque é o Neymar, que nos últimos 4 jogos pelo Santos no Brasileirão foi substituído por insuficiência técnica? Talvez o craque seja então o Ganso, que apareceu para o futebol há 6 meses e tem como o “jogo da vida” a partida contra o Santo André? É algum desses “craques” que entraria numa quarta de final de Copa do Mundo, contra a Holanda e viraria o jogo, é isso? Claro que não.

Acho Ganso e Neymar excelentes promessas. Jogadores que podem vir a ser grandes craques, especialmente o Ganso. Mas ainda não são. Não podem ser postos na mesma gaveta que Ronaldo, Romário, Zidane, Zico, Falcão, Maradona, Beckenbauer. Esses sim são craques.

Falam muito também que o Dunga não foi “respeitoso” com a imprensa. Realmente eu acho que, vez que outra, o Dunga se passou com a imprensa. Mas não foi ele quem começou. Não mesmo. Vocês se lembram o que dizia “O Globo” quando o Dunga assumiu a Seleção em 2006? “Um técnico para três meses”. Isso não me parece lá muito “respeitoso”. Mas aí o time do Dunga venceu a Copa América, mais que isso: goleou a Argentina com Messi, Tevez, Riquelme e tudo. A imprensa teve que engolir o Dunga. E o Brasil de Dunga começou a ganhar. Nos classificamos para a Copa com 4 rodadas de antecedência (o que não acontecia, pasmem, há 40 anos) e, de lambuja, enfiou 3, de novo, na a essa altura freguesa Argentina, em Rosário.

A imprensa teve que engolir mais um pouquinho o Dunga. Engoliu, mas não digeriu. Passaram a falar sistematicamente que o Dunga se vestia mal (mas é São Paulo Fashion Week ou futebol?). A Seleção venceu a Alemanha, goleou a Itália, amassou Portugal e, depois, venceu a Copa das Confederações. Aí a imprensa passou a dizer que o futebol do time do Dunga não era o legítimo futebol brasileiro, onde estavam os craques e blablablablablá.

Não sei vocês, mas me parece razoável que depois de 4 anos ouvindo tudo isso, ele reagisse. Claro que o Dunga poderia ser mais comedido. Mas pergunto a vocês: a imprensa também não poderia ter sido um pouco mais comedida?

O que quero mostrar aqui é que houve um critério sério e digno por parte do Dunga na formação dessa Seleção. O time foi comprometido, organizado e, queiram ou não, jogou bem. Ou alguém ignora que o banho de bola que a Holanda levou no primeiro tempo foi dado pelo time do Dunga?

Mas enfim, o Dunga não é mais o técnico do Brasil e, como disse antes, futebol é um jogo fantástico porque permite uma série de variações táticas, técnicas, psicológicas, físicas, etc. E, em cada uma dessas nuances, há um universo a ser analisado. Por isso acho raso demais optarmos por olhar meramente pelo resultado. Acho também lamentável a caça as bruxas. Prefiro outra abordagem. Prefiro responder a esta pergunta: esta seleção brasileira que ontem foi eliminada pela Holanda, tinha condições de ser campeã mundial? Eu, pessoalmente, acho que sim. E, por isso, acho que o Dunga fez um ótimo trabalho e compro essa briga: quem detona o Dunga não é torcedor da Seleção Brasileira. É torcedor da vitória.


Anúncios

39 Respostas para “Copawriter de Fora IV: Em futebol se ganha, se perde e se empata, por Antero Neto

  1. Pingback: Copawriter de Fora IV: Temos um culpado, por Antonio Nogueira « Copawriters

  2. concordo com tudo

  3. O Antero é gaúcho separatista. Isso quer dizer que, para ele, quanto pior for a campanha do Brasil, melhor. Por isso o Dunga é um herói para ele. É um gaúcho infiltrado no seleção do país que ocupa a força o seu querido Rio Grande do Sul.

  4. “não era a Copa do Mundo de Basquete. Nem de vôlei. Nem de golfe.”
    Imaginemos se fosse de basquete:
    O Dunga teria convocado um anão, reconhecidamente péssimo jogador, mas com uma tremenda capacidade de unir o grupo.
    Se fosse de vôlei:
    ele convocaria um amigo seu das partidas de futivôlei na praia de Torres. É terrível jogador de vôlei (o que não importa, é claro) mas como no carnaval de 84 o Dunga passou a mão na bunda da irmã do cara, ele precisava ser compensado.
    Se fosse de golfe:
    apesar de alertado sobre o comportamento estranho de um de seus prediletos, Dunga insiste em levá-lo à Copa. No green do buraco 18, ele esquece do jogo e dá com o taco na cabeça do adversário.

  5. Antero,

    Só você para conseguir colocar em palavras tudo o que eu sinto dentro de mim. Mas também, quem conhece o que tem dentro de mim melhor do que você, que já ocupou esse espaço tantas vezes?

    Parabéns poetinha.

  6. brugos, muito linda essa tua declaração de amor a mim. nem eu mesmo teria feito melhor. obrigado. eu, realmente, mereço.

  7. max, entendo tua boa vontade em comentar a parte da copa do mundo de basquete, volei e golf. mas foi apenas uma figura de linguagem. não era para ser levada a sério. obrigado mesmo assim por me ler.

  8. A diferença entre coerência e burrice está na incapacidade de assimilar os sinais externos e agir. Se você pensar Hitler também foi sempre coerente em sua filosofia medíocre. Coerência não pode ser virtude única de um líder, tão importante quanto ela é a flexibilidade e capacidade de adaptação. Não meu caro gaúcho “bairrista”, com o futebol que jogou o Brasil não tinha a menor chance de ser campeão. Tanto que perdeu para o primeiro time médio que pegou, time esse que não jogou absolutamente nada contra a gente e mesmo assim levou. O Dunga foi um carregador de piano que quando ganhou a oportunidade de fazer um concerto para milhões de pessoas montou uma orquestra de carregadores de piano, nervosos, inseguros e sem talento. E por isso o nosso hino desafinou vergonhosamente na África do Sul.

  9. moa, vergonhosamente foi em 2006. em 2010 aposto que tu estava bem feliz no primeiro tempo. o time perdeu porque num jogo contra um time igualmente bom, existia sim a possibilidade de perdermos. não somos os reis do futebol tal qual a sportv anuncia. temos um time bom. assim como a holanda tem um time bom. é um jogo. não houve vergonha. ouve uma derrota. só.

  10. Gustavo B.Rock

    Anterinho querido, sabe muito!
    189 milhões 999 mil brasileiros não concordam contigo, mas, desses todos, menos de 1 milhão frequentam estádios, e menos ainda sequer entende a si mesmo, que dirá entender futebol.
    Eu to contigo.
    Brasileiro é criado pra botar a culpa no outro. Na vitória, “é nóis”; na derrota, “to fora”. Porque errar é pecado, então quem erra são os outros. Bom texto, como é de praxe. Parabéns, e Uruguay uber alles!! — já que La Págua não é filiada à Fifa… ainda…

  11. Começastes bem, guri. Mas ao difamar nossos melhores jogadores da atualizada, cometestes um erro fatal.

    Que a força de Celso Roth esteja com você!

    Abrazzo,
    ROJAS.

  12. rojas querido,
    repasse comigo o que eu disse em relação aos jogadores e repare, são fatos.

    ronaldinho não foi bem nas olimpiadas (dito inclusive, por ele mesmo, ronaldinho), foi figura pouco comprometida em 2006 e, no milan, joga pra caramba contra siena, udinese, lecce, bari, catania…mas, na hora decisiva, contra a internazionale e contra até mesmo a roma, ele foi muito mal (http://esportes.terra.com.br/futebol/europeu/2009/noticias/0,,OI4305371-EI14098,00-Ronaldinho+nao+brilha+Milan+e+Roma+empatam+e+Inter+agradece.html) é fato.

    neymar foi sim substituido nos últimos jogos do santos. é fato.

    e ganso surgiu como destaque do futebol brasileiro faz realmente 6 meses e a partida decisiva mais importante que ele já enfrentou como jogador profissional foi, sim, a final do campeonato paulista, contra o santo andré. também é fato.

    • eu entendo isso, meu caro, mesmo. mas eu não estou dizendo que eles são craques ou os salvadores da lavoura.

      digo, apenas, que eles seriam opções de banco capazes de mudar o jogo. só isso.

      baptista reserva da roma ou gaúcho, embora em fase duvidosa? kléberson ou o meteórico ganso? (que destruiu também, como exemplo, o grêmio, que vc tanto “ama” na copa do brasil)

      gosto do antero. não do antero-antagônico =]

  13. Antero,
    A sua visão é bem calcada na antropologia do brasileiro, de visão católica, etc… e tal.
    Para mim, é balela. Ocorre que, como difundido às expensas, e não só pela Globo, a selecinha do Dunga só obteve apoio da torcida porque o brasileiro ama futebol, se fosse em outro país (como a França, p. ex.), menos de 1/3 do povo teria dado audiência às emissoras nas transmissões dos jogos.
    O Dunga foi um jogador medíocre, como técnico se saiu até melhor, foi razoável. Mas para o torcedor isso não importa, vale o título, e com esse time de 80% de volantes e zagueiros (estrutura de time gaúcho), ele tentou imitar o Parreira. Até nisso foi mal, pois, ao contrário do que vc prega no texto, vc também defendeu que os meninos da vila (no mínimo o Ganso), deveriam ter tido uma chance de mudar o rumo dessa prosa.

  14. b.rock.
    obrigado e volte sempre.

  15. rojas,

    o ganso parece ser um baita jogador. veja bem: parece. o taison, ano passado, também parecia. copa do mundo é copa do mundo. não é lugar de “ver se o cara rende”. o julio batista, só lembrando, qdo concocado pela seleção, sempre respondeu bem. inclusive marcando gols.

    mas relaxa, o ganso parece ser diferente do taison. acho que vai ser craque mesmo. vai ser…

  16. Ojunior72,

    antropologia não é balela. é uma ciência. sugiro aprofundar mais um pouquinho.

    qto ao ganso, peço que leia de novo o texto. eu não sugeri nenhum dos meninos da vila na seleção. até porque, ao meu ver, eles ainda não estão prontos.

    e qto a estrutura do time do dunga, ela é tão gaúcha quanto alemã. costuma funcionar.

    mas tudo são opiniões. respeito a sua.

  17. Renato Ramalho

    Concordo. Em parte.

    Tá certo, a Seleção Brasileira perdeu para a Holanda por causa de detalhes.
    Mas devemos lembrar que esta mesma seleção, que até a Copa trazia sempre consigo o adjetivo “vitoriosa”, só podia ser chamada assim também graças a um detalhe.

    Copa América de 2007. Na disputa por pênaltis, o Brasil já havia desperdiçado duas cobranças e restava ao Uruguai acertar o último pênalti e mandar para casa a Seleção Brasileira. Provavelmente iria mandar para casa também o técnico da Seleção, que não se manteria no cargo após uma campanha pífia, sem ao menos alcançar a final do torneio. Pois um detalhe aconteceu: o uruguaio Garcia mandou a bola na trave, ressuscitando o Brasil, que depois iria conquistar a Copa América.

    Aliás, lembra que eu disse que o Brasil já havia desperdiçado duas cobranças? Sabe quem desperdiçou? Afonso e Fernando. Sim, Afonso, um perna-de-pau que meteu uns gols pelo glorioso Heerenveen e que hoje está de volta ao seu merecido lugar: o limbo. E Fernando, um volante mais grosso que tronco de seringueira, que defendia as cores da potência futebolística Bordeaux.

    Por que dar chance a tipos como esses e não chamar jogadores como Ganso, que sim, já mostrou e provou que é bom jogador, e não foi só contra o Santo André. Ou você realmente acha ele é pior que o Kléberson?

    Acho que a maior parte do trabalho foi bem feita, mas este tipo de teimosia burra coloca tudo a perder.

    Quanto ao Ronaldinho Gaúcho, concordo plenamente. E, quem pede ele na Seleção, ou tem amnésia ou está querendo se enganar.

  18. Paulo - Itápolis SP

    Aleluiaaaaaaaaa…. alguém racional falando sobre futebol e copa do mundo. Penso em tudo que está sendo dito ae. O que podemos discorda é de uma convocação ou outra, porque isso é preferencia pessoal e isso não vem ao caso.
    Mas sim o ótimo trabalho que o Dunga fez a frente da seleção brasileira. Aqui no Brasil não se sabe perde, quando se perde querem um culpado.
    Aqui no Brasil a mentalidade do mundo esportivo é fraca, jornalistas acham que é tudo simples e fácilç, nunca jogaram bola, e a mentalidade dos dirigentes também é assim. Eles valorizam o resultado, e não um trabalho bem feito, ai escuto na imprensa o porque na Europa tecnico dura muitos anos. Simples, lá eles valorizam o trabalho e seguem uma linha de raciocinio.
    Então se cobram o resultado aqui no Brasil, porque falar que o trabalho do Dunga foi ruim? Quantos jogos ele perdeu? Quantos títulos disputados e quantos vencidos? Imprensa fala o que quer e quando escuta o que não quer se sente incomodada.
    Quanto a jogadores, o Ganso acho um excelente jogador, o Neymar nem tanto, jogar num time que joga redondo é fácil, coloca ele num time que não tem ganso, wesley, arouca, fica dificil neh, porque não vai ter os caras que carregam o piano, assim como na seleção. Na seleção o grande astro hoje seria o Kaká, que não foi a Copa do Mundo, quem dizer que ele jogou muito é mentira, (Assim como Messi, Cristiano Ronaldo, Fernando Torres, Roney, nenhum deles foi a copa). O Kaká hoje joga na seleção de uma forma boa, porque o time proporciona isso, o kaká joga solto, porque sabe que lá atrás tem gente pra corre e marca, os carregadores do piano (Gilberto Silva, Felipe Melo, Lucio, Juan, Maicon, Elano, entre outros). Temos que elogiar o time inteiro, e não dizer se estivesse Ronaldinho, Ganso entre outros lá seria diferente.
    Brasileiro tem que parar com essa mente fechada, e acharmos que vamos ganhar todas as copas que disputarmos, que é obrigação nossa. Hoje futebol não existe mais bobo, como dizia o sábio Felipão, “Hoje não se amarra cachorro com linguiça que nem antigamente”, futebol entre os grandes times e seleções está muito igual.
    Apoio a seleção feita pelo Dunga, apoiuo o trabalho feito, apoio o sistema que montaram, foram focados em um objetivo, assim como quase todas as seleções que estiveram lá, vencem quem estiver num dia mais feliz, futebol é disso.
    Abraço Antero, ótimo o que você escreveu.

  19. Paulo - Itápolis SP

    Respondendo nosso amigo ali.
    O Brasil tinha plenas condições de ganha copa do mundo. E a Holanda nunca foi um time médio, nunca ganhou nada, porque a mentalidade deles era outra. Agora chegou um técnico com a mentalidade nova do futebol, que não precisa só joga bonita, você tem que ter um time consistente.
    E a Holanda é um time médio mesmo neh… que em 9 copas disputadas, e em 3 delas estava na final. Foi a 2 seleção a se classificar pra copa, a primeira foi o país anfitrião. A Holanda tem jogadores em todos os times de potência no futebol mundial. E a Holanda é a única seleção no mundo que venceu todos jogos das elmininatórias, os jogos de preparação e todos os jogos do mundial até o momento, então melhor rever esse seu conceito sobre ser uma seleção média e aceitar uma derrota de uma seleção que o momento era tão bom quanto a nossa.
    abraço

  20. Paulo - Itápolis SP

    Respondendo nosso outro amigo ali também. Ahahahaha
    Dunga foi jogador mediocre? Ah entendi, você que levanto a taça quando fomos campeões em 94. Se ele estava lá, ele tinha capacidade. Até hoje eu não vi em lugar nenhum um jogador de 94, falar mal do Dunga, ainda o respeitam muito e o chamam de Capitão, até em 98 ouvi brincadeiras de jogadores que no dia do incidente com Ronaldo o Dunga estava descansando, ai um dos jogadores brincou que não seria bom o dia, porque acordaram o capitão.
    Ele sempre foi respeitado no meio do futebol por muitos, você não deve saber o que é futebol praticamente, só assiste e vai pelos comentários.
    Existe diferença entre jogadores assim como personalidades. Existem jogadores mais técnicos e jogadores menos técnicos, existem marcadores e dribladores, esse é o tal equilibriu que todo time de futebol precisa. O Dunga sempre foi um jogador de mais pegada, marcação, firme no raciocinio, determinado. E vejo que essa Copa ele foi determinado a conquista-la, não deu perdemos o jogo, temos que aceitar. Pessoas mediocres são aquelas que se deixam levar pela opinião da imprensa, pessoas influenciaveis. E que falam de futebol pela emoção e nao pela razão.
    Abraço

  21. Paulo - Itápolis SP

    Isso tava engasgado há muito tempo, vontade de fala tudo, e hoje estou tendo essa oportunidade. Isso que você postou Antero é o que eu sempre quis fazer.
    Outra coisa que ouvi muita questionar, é por que levar esse jogador se ele esta na reserva? por que levar este outro se o titular do time dele nem pra copa vai?
    É um fato engraçado isso, por que questionam tanto o Julio Baptista que ele é reserva na Roma, de um jogador que nem pra Copa foi? Ele só é reserva do Totti lá, um dos maiores jogadores da história da Roma, ele tem mais importância lá do que uns par de parlamentares, ministros de muitos lugares no mundo.
    Outra coisa, o atacante titular da Alemanha, é reserva no time que joga, o Miroslav Klose, ele mesmo, o segundo maior artilheiro de todas as copas e que pode passa o Ronaldo esse ano. Pra quem não sabe, ele é reserva no Bayern Munich do Olic. Pra quem não conhece ele é um atacante croata que nem a copa foi.
    Outro questionado, Grafite. Muitos perguntam o que ele faz lá, ele quando foi convocado, ele era o ultimo artilheiro, campeão e o melhor jogador da ultima temporada do campeonato alemão. Ou vai me dizer que esse campeonato é fraco? A seleção inteira da Alemanha joga la.
    Outro questionado, Felipe Melo. Vejo ele como um ótimo jogador, muitos nao acompanham campeonatos europeus e escutam na tv que ele foi péssimo e tal. Isso é errado, assisto campeonato italiano, na Fiorentina ele estava jogando muito quando foi convocado e colocado pra joga nada menos que contra a itália. E essa última temporada ele não foi tão bem, mas ele levo a culpa dos brasileiros de um time que não vinha bem, a Juventus foi mal esse ano, o time não acertava, tinha altos e baixos, jogadores tops no mundo nao conseguiram rende o esperado, e o povo brasileiro cobrou somente dele, se for pensar assim então ele é o astro do time. Se ele não jogar o time não vai bem? é curioso o modo de pensar dos brasileiros.
    Boa parte foi o que falei se deixa levar pela imprensa do futebol brasileiro, que hoje em dia é fraca, são poucos que você para e fala esse é bom, diz coisas com coerência.
    Até falei pro meu irão, trabalha hoje em dia com esporte é fácil, fala qualquer coisa e todo mundo leva a sério e acredita em você
    Abraço Antero

    • Querido Paulo de Itápolis, vou tirar férias em outubro e, então, terei tempo para ler os seus breves comentários.

      • Paulo - Itápolis SP

        estará ae a disposição, ninguém força ninguém a ler, você le se você quiser.
        boa sorte obrigado

  22. renato ramalho,

    concordo em relação ao afonso e ao fernando. mas, aquela era uma época de testes. infelizmente o ganso não existia nessa época. nem o neymar. eles surgiram faz muito pouco tempo. azar deles. azar nosso. mas em 2014 eles jogam!

  23. obrigado, paulo. evidentemente concordo contigo.

  24. Antero,

    Concordo em parte com o que você diz.

    Concordo plenamente quando você diz que o Dunga tinha um time coeso, um time muito bem organizado e uma proposta clara e consistente de jogo. Mas isso se aplicava apenas ao time titular do Brasil. O Dunga cometeu um grande erro quando aparentemente pensou (digo aparentemente porque ao contrario do Galvão eu não consigo adivinhar poensamento rsrsrs) que tinha criado um estratégia imbatível. Mas como muitos sabem, tal coisa não existe no futebol pois o futebol é um jogo dinâmico e precisa ser sentido em campo. O Dunga armou a seleção para jogar apenas de uma unica forma e se essa forma, que apesar de muito boa, não funcionasse nós estaríamos fritos, ou aliás estivemos fritos. A Seleção Brasileira como você mesmo disse sabia jogar apenas no contra ataque, Dunga nunca considerou a possibilidade de o Brasil começar atrás no placar e isso foi um erro dele sim, pois como você mesmo disse, no futebol o ruim pode ganhar do bom ou nesse caso sair na frente do placar, talvez até com um gol acidental como aconteceu no gol de empate da Holanda, então o Dunga tinha a obrigação de preparar a seleção pra correr atrás do placar também. Quanto a convocação dos jogadores o Dunga cometeu erros, erros que foram vistos e comentados por todos muito antes de qualquer resultado negativo da Seleção. Não vou aqui defender Neymar nem Ganso porque eles ainda são garotos e não tem experiência internacional nem nada, seria pro Dunga como dar um tiro no escuro, poderia ser que eles arrebentassem ou que eles não fizessem nada na Seleção, e logicamente o Dunga não tem que colocar seu trabalho em risco para atender a vontade da Imprensa. Mas independente de Neymar e Ganso o time reserva do Brasil era um time sem criatividade, se o Brasil precisasse mudar o estilo de jogo durante a partida não tinha ninguém pra entrar, aliás o próprio Dunga só fazia substituições do tipo “seis por meia duzia”, então mais uma vez o Dunga tem culpa nisso sim. Discordo completamente quando você diz que o Ronaldinho Gaúcho não é um craque, pois um jogador que é eleito 2 vezes seguidas o melhor jogador do mundo não pode deixar de ser colocado naquela sua lista de Ronaldo, Romario e outros. Não podemos destruir toda a carreira de um jogador por causa de uma copa mal jogada, Ronaldinho Gaucho é um craque sim e fez muita falta pra esse time, eu não defendo ele nem como titular porque sei que não encaixaria no esquema tático de Dunga mas ele no banco faria um grande diferença caso o Dunga precisasse mudar o estilo de jogo do Brasil.

    Podemos notar também que o Dunga realmente teve méritos com relação a quebrar o salto alto dos jogadores brasileiros e fazer eles jogarem com mais raça, Dunga realmente fez a Seleção ter a cara dele, mas tanto que a Seleção Brasileira estava caracterizada como uma Seleção “nervosinha”, os jogadores estavam confundindo raça com nervosismo e irritação, o Brasil teve sorte de não ter 2 ou 3 jogadores expulsos no jogo contra Holanda, mesmo com o Brasil ganhando o jogo os jogadores pareciam muito nervosos, Robinho parecia que ia engolir o juiz de tanto que ele gritou com o juiz e arregalou os olhos, poderia ter sido advertido com cartão amarelo 2 vezes e não seria nenhuma injustiça com o Brasil. Esse descontrole emocional dos jogadores é reflexo do Treinador, então mais uma vez Dunga tem culpa sim na desclassificação da seleção nas quartas de final.

    Dunga fez um bom trabalho, mas teve erros e foram exatamente esses que desclassificaram o Brasil, claro que não foi culpa de Dunga aquele gol acidental que a Holanda fez, claro que Dunga tem mérito pelo brilhante primeiro tempo da Seleção Brasileira no jogo contra a Holanda, ma ele também tem culpa pela derrota, uma vez que a seleção perdeu por não ter um esquema tático alternativo, por não ter se preparado pra correr atrás do placar e por demonstrar imenso descontrole emocional.

  25. oi cardona.

    a coisa não é bem assim. senão vejamos: dunga não armou a seleção para jogar APENAS de uma maneira. ele armou a seleção para jogar preferencialmente em contra ataque. mas a seleção jogou de outras maneiras na copa. aliás, contra a coreia o brasil nao jogou de contra ataque, contra a costa do marfim o brasil nao jogou de contra ataque e nem contra portugal o brasil jogou no contra ataque. vencemos dois adversários e empatamos com um. nos classificamos em primeiro no grupo sem jogar da maneira que gostariamos. e, por isso, o time não jogou tão formosamente bem quanto contra o chile e no primeiro tempo da holanda. pq não? pq o brasil prefere jogar de contra. mas, como vimos, mesmo jogando contra times que eminentemente se defendem, o brasil os venceu. e se não jogamos aquele futebol de playstation contra os adversários que se posicional com 11 jogadores atrás da linha da bola, por gentileza me diga, quem faz isso? que time da atualidade dá show contra um time que se posiciona assim?
    mas cumprimos a missão: o brasil os venceu. sem a naturalidade e o bom futebol do plano A (o conta-ataque), mas com a efiiencia do plano B (o ataque).

    qto a estar preparado pra correr atrás, isso é muito, muito subjetivo. porque o time pode até ter treinado para sair atrás, pode até “ter se preparado”, mas qdo se está dentro do campo, numa quarta de final de copa do mundo, contra um bom time e vc toma dois gols em falhas, é bastante possível que o que vc “treinou” não funcione. até pq, seguramente, por exemplo, o julio cesar treina aquela saida de bola 80 mil vezes por treino. treino é treino. jogo é jogo. se treino fosse jogo, nenhum time do mundo perderia. bastaria “treinar”. as coisas não são tão simples assim.

    qto a não ter ninguém pra mudar o jogo, sim é verdade. mas isso não é culpa do dunga. a dura e triste realidade do futebol brasileiro que a imprensa se nega a ver é: não existe esse jogador na atualidade. ganso e neymar ainda não são realidades e o ronaldinho teve oportunidades com o proprio dunga e não as aproveitou. e qto a estar no banco e entrar para “mudar o jogo”, o histórico dele em partidas decisivas do brasil (exceção inglaterra em 2002 qdo era coadjuvante) não recomenda. pq nao mudou o jogo contra a frança em 2002? ele era 4 anos mais jovem e, naquele momento sim, havia sido eleito o melhor do mundo. aliás, esse papo de ser o “melhor do mundo” é curioso: o cristiano ronaldo também foi eleito. se ele se naturalizasse brasileiro, vc o colocaria no time também?

    descontrole emocional é culpa do dunga? eu gostaria de saber de onde tiraram essa teoria? porque o dunga esmurrou o banco de reservas? o bernardinho faz isso todo jogo e as pessoas acham “motivador”. ou o dunga seria um descontrolado porque é rude com a imprensa?
    dunga não tem nenhum descontrole emocional, amigo. se tivesse, possivelmente não seria escalado para bater um penalti decisivo na finald a copa do mundo contra a itália em 94, por exemplo. dunga é energico, isso sim. tem temperamento. e isso é ótimo. treinador tem que transmitir vibração pro time. o hoje amado felipão faz isso o tempo todo. aliás, ele tb esmurra o banco, ele tb dá porrada na imprensa (lembra das declaarções dele qdo assumiu a seleção?) ele também grita e ele, aliás, faz uma coisa que o dunga nunca fez: mandar, literalmente, bater. lembra de holanda e portugal na copa passada? o felipão xingando o técnico adversário fazendo o gesto com a mão para seus jogadores de “quebra ele”? se fosse o dunga, estaria “transmitindo nervosismo ao time”. não há nenhum fundamento na tese do “dunga transmitiu nervosismo aos jogadores”. é apenas mais uma opinião furada da sportv.

    mas copa do mundo é isso aí. e, por isso, é maravilhosa. daqui 4 anos vamos de novo.

    grande abraço, cardona
    antero

  26. Muito bom, Cardona.
    Até que emfim um comentário com equilibrio. Essa forma de defesa incontestável, ou de cupabilidade total referente a Dunga, tem ar de passionalidade.
    É mais do que óbvio que houveram erros e acertos, por parte de todos. Vc foi muito feliz na apresentação dessa dinâmica de erros e acertos.

  27. Antero, chega.

  28. max querido,

    leia o final do meu texto. fui expresso: comprei uma briga.

    pois vamos ao debate!

    abraço

  29. mas se tu, max, achar que talvez eu esteja “transmitindo agressividade e nervosismo” aos leitores, eu juro que paro.

  30. Antero,

    O Dunga declarou abertamente para a imprensa que não treina o time pra sair atrás no placar.

    O Brasil jogou contra a korea do Norte que é um péssimo time e teve enorme dificuldade para furar sua defesa, jogou contra a Costa do Marfim que cometeu o grande erro de querer jogar de igual pra igual contra o Brasil, a Costa do Marfim quis atacar e por isso deixou o Brasil a vontade, já contra Portugal o Brasil não conseguiu fazer absolutamente nada. Não precisa ser um gênio pra saber que a melhor maneira de se quebrar um time retranqueiro é colocar jogadores dribladores, e no time do Brasil o unico jogador que sabe fazer bem isso era o Robinho, nem mesmo o Kaka sabe driblar com a bola parada o Kaka só dribla quando já está na corrida com a bola, por isso acredito que Ronaldinho fez falta, mas mesmo sem contar com o Ronaldinho ainda existem outros jogadores brasileiros que sabem driblar e seriam uteis pra ficar no banco e entrar caso o time precisasse. O Chile tambem inventou de atacar o Brasil sabendo que era tecnicamente inferior e por isso mais uma vez tomou balaiada.

    Eu nunca disse que o Brasil estava jogando mal apenas que existiram erros de estratégia e preparação pois todo mundo erra, e sobre a questão do contra-ataque eu usei suas próprias palavras, mas minha ênfase era no sentido de o Brasil não saber jogar com o resultado desfavorável, não saber correr atrás do placar, não saber jogar contra times defensivos.

    Já que você perguntou, eu te respondo que com certeza colocaria o Cristiano Ronaldo na seleção brasileira e ainda como titular, se ele não correspondesse de inicio eu deixava no banco, mas no mínimo no banco.

    Quanto ao destempero do Dunga, eu não me refiro a ele xingar no banco e sim as declarações dele, a forma que ele se portava quando era capitão, aos xingamentos em coletiva e por ai vai.
    Gostaria de salientar também que não assisti o jogo pela Sport TV, prefiro a ESPN. E que as opiniões expressas aqui são minhas e não de terceiros.

    Percebo que gostamos de futebol de forma diferente e isso que é bom no futebol, existem varias formas de se jogar, a que o Dunga escolheu funcionou por um tempo mas não foi suficiente para ganhar a copa.

    Lembre-se também que o Dunga é humano logo ele não é perfeito e para o próprio crescimento dele é bom que ele perceba os erros que cometeu e se aprimore pra que quem sabe numa outra oportunidade ele possa fazer melhor.

    Obrigado por comentar o meu comentário

    Abraços

  31. cardona,

    é bom esclarecer uma coisa: ninguém “treina” o time para sair perdendo. não existe esse “faz de conta” num treino de futebol. o que um técnico de futebol treina, nesse sentido, são variações táticas viáveis dentro de uma partida de futebol. algo do tipo “se eu precisar atacar mais, tiro fulano e boto ciclano” ou “se eu precisar atacar mais, inverto esse cara com aquele”. é isso que faz um treinador. ele não chega e diz “pessoal, vamos agora mentalizar que o jogo está 1 x 0 para o adversário”. nenhum treinador do mundo faz isso. isto posto, o dunga, dentro das suas convicções e, no meu ponto de vista, dentro da ausência de craques do futebol brasileiro da atualide, tinha suas “cartas na manga”. ramires era uma carta na manga para acelerar e dar movimentação no meio de campo. não pode jogar. julio batista (que queiram ou não tem uma boa media na seleção brasileira, marcando gols, inclusive) era outra. mas estava machucado. nilmar é um atacante veloz e habilidoso, também era uma opção. e tínhamos também o grafite, atacante com presença física na área e boa opção de bola aérea. entretanto, as possibilidades de variação tática tornam-se comprometidas quando, como era o nosso caso, se joga com um jogador a menos. e isso precisa ser considerado. pessoalmente, entretanto, acho que o dunga deveria ter colocado o grafite e não o nilmar e partir, na reta final, para o jogo de contato físico. mas, francamente, não acho que seja por isso que o brasil perdeu.

    quanto a coréia, sim, é um péssimo time. mas são muito diciplinados, correm muito e jogaram contra o brasil a partida das suas vidas. tanto que, contra a seleção brasileira eles tomaram 1 x 0 e seguiram se defendendo, com 11 atrás da linha da bola. tomaram então 2 x 0 e continuaram fechados. contra portugal, por exemplo, eles estavam mais “alegrinhos”. tanto que no segundo tempo resolveram atacar e levaram sei lá eu quantos gols. até perdi a conta. costa do marfim não veio atacar o brasil. veio fechada tentando contra-atacar. mas o brasil fez um gol aos 25 e, ao contrario da coréia, eles, aí sim, vieram pro jogo. levaram mais 2 pra deixarem de ser bobos.

    a “melhor” maneira de quebrar uma retranca pode ser sim através de dribles e, de fato, nesse sentido temos só o robinho. mas isso não é culpa do dunga. encaremos a realidade, amigo: não há craques hoje no futebol brasileiro. não há. mas também se pode abrir uma retranca de outras maneiras: um jogador surpresa, geralmente um zagueiro ou um volante, pode vir de trás. pode se tocar, tocar, tocar, tocar e, qdo abrir uma brecha, enfiar uma bola em velocidade. e também pode-se usar a boa e velha bola parada em jogadas ensaiadas. aliás, foi numa jogada ensaiada que o brasil abriu o marcador contra o chile (mas, esses sim, não jogaram na defesa). enfim, mas jogadores dribladores sempre ajudam num jogo assim. só que, infelizmente, eles só estarão aptos a jogar uma copa do mundo em 2014. atualmente, não existe.

    a parte do cristiano ronaldo eu, evidentemente, respeito, mas, naturalmente discordo. é como vc mesmo disse: temos visões diferentes em relação a um jogo de futebol. o que é importante aqui frisar é que eu e muitas outras pessoas concebemos o futebol de uma maneira que não é a mesma do que outros brasileiros. sendo assim, não há nada de errado em o dunga jogar “a la antero”. assim como não haveria nada de errado em ele jogar “a la cardona”. é uma questão de convicção. não é uma questão de certo e errado. e, por isso, escrevi este post aqui no copawrites. a imprensa se comporta como se fosse certo ou errado jogar assim ou assado. e isso, evidentemente, desmascara a, no mínimo, limitação da imprensa.

    e sim, o dunga erra, como erra o julio césar, como erra o lucio, como erra o luis fabiano, como erramos todos nós. mas não perdemos a copa pelo erro individual de alguém. perdemos por um contexto muito mais amplo que inclui muitas coisas, entre elas: sorte (ou falta dela), desatenção e holanda. e, a tudo isso, chamamos jogo de futebol.

    obrigado por prestigiar o blog.

    abração

  32. Antero,

    Já vi que temos pontos de vista muito divergentes, não vou me estender mais nos comentários.

    Só gostaria de esclarecer que quando eu disse treinar pra correr atrás do placar eu queria dizer exatamente isso que você disse, que era pra o Dunga treinar opções mais ofensivas pra quando estivesse atrás do placar. É óbvio que eu não imagino que o técnico vá pedir pra os jogadores imaginarem estar atrás do placar. Acredito que você não tenha feito intencionalmente mas você acabou distorcendo minhas palavras.

    Tentarei ser mais claro e objetivo então.

    Em quatro anos eu não lembro de ter visto o Dunga tirar um volante pra colocar um atacante no meio do jogo, nem com o Brasil perdendo.

    Bom, eu acho que a gente não vai chegar em lugar nenhum com esse debate, mas de qualquer forma obrigado pela atenção e vamos torcer pra que na próxima copa nós tenhamos mais “sorte” então. ^^

    Abraços

  33. cardona,

    você não se lembra porque o brasil perdeu apenas 5 partidas nos últimos 4 anos.

    um abraço e volte sempre.

  34. Jader,

    Obrigado pelo comentário.

    Fico feliz por você ter me entendido.

    Abraços

  35. Pingback: A mensagem é o meio « Copawriters

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s