Seco, não nego. E secarei enquanto puder.

Queridos amigos, que time e seleção são coisas diferentes todo mundo sabe. O que eu sei é que futebol é futebol e, durante a Copa do Mundo, meu time vira oficialmente a Seleção Brasileira (e esse “oficialmente” faz total diferença).

Afinal, quando a Seleção vai até o Emirates Stadium enfrentar a Irlanda em um reles amistoso, eu obviamente assisto e torço – mas confesso estar muito mais preocupado com o jogo do meu Palmeiras no final de semana.

Agora, durante a Copa não… durante a Copa, o verde ganha a companhia do amarelo e eu viro brasileiro com muito orgulho e com muito amor (não, eu não chego a entoar esta canção).

Esse sou eu durante Brasil 3x0 Chile

Isso inclui ler todas as notícias, ver e rever todos os jogos, palpitar sobre a escalação e as opções de banco, falar da roupa do Dunga e, claro, secar os rivais. Seco mesmo. Pra mim, em Copa do Mundo, a Argentina é o ‘Curintia’ e ponto final!

Assim que rolou a bola na África, eu torci avidamente contra cada uma de nossas grandes rivais. Comemorei feito criança as eliminações de França e Itália, fiquei triunfante após a derrota da Espanha na estréia, vibrei com Sérvia 1×0 Alemanha e toquei até vuvuzela para apoiar Coréia do Sul, Grécia e Nigéria.

Vida de torcedor é assim. E o legal de ser torcedor é que você pode ser irracional. Não precisa medir palavras ou reações. Porque pouco importa o que você apostou no bolão: se a Argélia mete gol na Inglaterra, é mágica pura. (ou você preferia mesmo ter que enfrentar a Holanda ao invés de pegar Camarões ou Dinamarca na quartas?)

Eu preferia Bendtner ao invés de Sneijder.

Não estou negando que existam pessoas que realmente gostem desse papo de ver só ‘clássicos’ durante a Copa. Eu também gosto e eles são inevitáveis, graças a Deus. Mas, como torcedor brasileiro, eu prefiro muito mais enfrentar timecos do que timaços. Eu quero o hexa, o hepta, o octa. Mas, se eu não conseguir, que “eles” também não consigam.

Por isso, quando Müller desviou uma bola vinda da esquerda logo aos 3 minutos de jogo na última manhã de sábado, eu confesso ter comemorado demais. O gol foi nosso. Foi verde e amarelo. Foi do Brasil! E você pode ficar puto com isso.

Esse sou eu durante Alemanha 4x0 Argentina.

Só que seco, não nego, e secarei enquanto puder.

Postado por: Henrique Rojas.

Anúncios

8 Respostas para “Seco, não nego. E secarei enquanto puder.

  1. Não querido, o gol não foi verde e amarelo. Quando Brasil e Argentina se encontraram em jogos eliminatórios na Copa esse seu golzinho verde e amarelo fez falta. Porque o Maradona driblou o Brasil inteiro e deu um passe genial para o Caniggia fazer aquele gol desconcertante. Desculpa. Foca em torcer para o Brasil. Está precisando.

    • Max, o ponto é que não existe torcedor que não seque. Quando o Atlético joga, você, como cruzeirense, não seca? Não fica feliz com os gols adversários?

      Tenho certeza que muito argentino comemorou com o Sneijder. E, se comemorou, estava certinho. Futebol também é rivalidade. E se não ganhou o Brasil, que não ganhasse a Argentina.

      Abrazzo,
      ROJAS.

  2. Enquanto existir futebol, vai existir a contratorcida.

  3. Enquanto existir futebol, vai existir a contratorcida

  4. E aí, torcedores do jogo feio mas “eficiente”. O que vocês tem a me dizer agora?

    • “A Alemanha foi como o Flamengo na Libertadores: eliminou quem tinha que eliminar e deu linha na pipa”.

      Isso me basta, caro Max.

      Vai, Espanha!

      Abz,
      ROJAS.

      • Foi uma pergunta retórica a minha. Eu já sabia que vocês não tinham resposta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s